Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria Amélia

Não nos devemos demorar onde não somos felizes... Não há nada que a persistência não alcance...o que importa é o que tu queres!

Maria Amélia

Não nos devemos demorar onde não somos felizes... Não há nada que a persistência não alcance...o que importa é o que tu queres!

O TREINO DA MENTE QUE EMAGRECE

Encontrei, li, gostei e resolvi partilhar. Nesta fase de recuperar a alimentação saudável tenho que reprogramar algumas coisas no meu cérebro. *-* Tudo a seu tempo.

Programar o cérebro para sentir desejo por alimentos saudáveis e perder peso sem sacrifício é possível.

O TREINO DA MENTE QUE EMAGRECE1.jpg

 

Chamemos-lhe força de vontade, determinação, motivação ou qualquer outra coisa, o certo é que é no nosso cérebro que está a ferramenta que nos ajuda a fazer tudo o que está fora da nossa zona de conforto. Ninguém consegue deixar um vício sem uma grande dose de determinação. O mesmo se aplica à comida, que é, na larga maioria dos casos de excesso de peso, isso mesmo… Um vício!

Ora bem, sabendo que pode utilizar o poder da mente para conseguir viciar-se antes numa alimentação saudável, precisa apenas de descobrir, na prática, pequenos truques para treinar a sua força mental, de forma a conseguir criar hábitos que lhe permitam alcançar os seus objetivos. Como é que podemos treinar o cérebro para deixar de chorar por guloseimas e para se contentar com menos comida?

Estes são os conselhos de Iara Rodrigues, nutricionista, que o vão ajudar nessa missão:

- Mude a forma como vê certos alimentos

Este conselho é absolutamente fundamental para o sucesso do seu plano. Adapte os hábitos de forma a não criar resistências mentais aos seus objetivos. Porquê ver os frutos e as verduras como alimentos de dieta, se eles são dos alimentos mais saudáveis que pode incluir no seu dia a dia?

Na verdade, eles são os melhores amigos do seu peso e da sua saúde a longo prazo. Se existem dezenas de frutos, legumes e vegetais diferentes, não coma aqueles de que não gosta e faça por variar e experimentar novos sabores. Encontra inúmeras formas de os cozinhar ou incluir na sua alimentação.

- Não se pese todos os dias

Este é um dos maiores erros cometidos quando se inicia um plano alimentar. Seja paciente.  As mudanças de peso não acontecem de um dia para o outro. Por outro lado, não só o peso pode variar consoante a altura do dia, como até existem dias em que o organismo demora mais a fazer a digestão e a libertar fluidos.

Se se pesar diariamente, pode ficar com a ideia de que está a pesar mais do que na véspera. Pesar-se uma vez por semana, sempre ao mesmo dia e depois da primeira urina da manhã, é suficiente para acompanhar os seus progressos.

- Dê tempo ao corpo para se saciar

Ao mastigar devagar, consegue trocar as voltas ao cérebro. É durante esse processo que é transmitida ao cérebro a informação de que estamos a ficar saciados, diminuindo, assim, a vontade de continuar a comer.

Sabe-se que a comunicação entre o corpo e o cérebro demora, pelo menos, 15 minutos a acontecer. Mas há mais. Mastigar bem os alimentos e com calma tem outras duas vantagens. Faz com que coma menos e ajuda o organismo a assimilar melhor os nutrientes.

- Defina uma meta

Sem saber ao certo que objetivo quer atingir, não há como garantir resultados. Seja realista. O segredo nesta etapa passa por delinear um objetivo claro e alcançável.

- Encontre uma razão maior

Pode ter vários motivos para querer emagrecer, mas procure dentro de si a razão principal pela qual quer perder peso. «Quero perder dez quilos e normalizar os níveis de colesterol», «Quero perder cinco quilos e ganhar resistência» ou ainda «Vou perder oito quilos e voltar a usar a roupa que deixou de me servir» são alguns dos exemplos.

- Seja otimista

Afaste os pensamentos que o deitam abaixo. É fácil ficar frustrado quando se trata de perder peso. Nunca, mas nunca, nada é tão rápido nem fácil como desejamos. Em vez de pensar de forma negativa e perder a motivação, concentre-se no seu progresso. Se isso for difícil para si, o que é normal acontecer, reserve alguns minutos por dia para praticá-lo.

Como? Pense naquilo de que gosta em si mesma, naquilo de que os outros gostam em si. Quando começar a pensar de forma negativa, pare, reformule o pensamento e comece de novo. Com o tempo, vai tornar-se cada vez mais fácil e automático.

- Não elimine alimentos

Prefira antes limitá-los. Se está num jantar em casa de alguém, e em cima da mesa está aquele prato muito calórico a que não resiste, não passe a noite em sofrimento. Nessas situações, coma um bocadinho apenas, mas coma devagar e beba água. Beber mais água e comer devagar vai reduzir o apetite.

Entrar em autonegação não é o melhor caminho. Não sinta que tem de evitar a todo o custo passar pelo corredor das guloseimas quando vai ao supermercado. Passe por esse corredor, resista a pôr o que quer que seja no carrinho e, no final do corredor, sinta-se vitorioso pela sua escolha.

- Foque-se naquilo de que gosta

Pode não ser fácil, mas repita este truque mental várias vezes, até ele se tornar cada vez mais fácil. Em vez de pensar no que não deve comer, faça um esforço para pensar em alimentos que pode e gosta de comer.

- Não se critique

Mesmo que tenha cedido à tentação e tenha comido o que não devia, não entre numa espiral de autocrítica. Pare. Sente-se. Respire devagar e profundamente. O relaxamento vai ajudar a expulsar a negatividade e a atingir a calma para retomar o seu caminho.

- Premeie-se

Ofereça-se a si própria recompensas por cada meta atingida. Receber esses prémios vai fazê-la sentir que vale a pena o esforço. Se alcançou o objetivo de perder os dois quilos, tal como tinha delineado, merece aquela carteira que há tanto anda a namorar. E que tal um fim de semana na praia? Uma ida a um concerto ou a um jogo de futebol? Só não vale usar a comida como prémio…

- Faça um exercício mental

Cada um de nós tem os seus alimentos favoritos, mas há alguns que se destacam como os mais consensuais, como é o caso dos gelados, das batatas fritas, do pão ou do chocolate. Cada pessoa tem pelo menos uma destas perdições. Mas em vez de ser controlada por um mau desejo, pode trabalhar no sentido de passar a ser tentada por uma maçã, uma rodela de abacaxi ou outro alimento saudável.

Faça a seguinte experiência. Pense no seu fruto preferido, por exemplo a melancia. Encontre um local tranquilo para esta experiência, sente-se e feche os olhos. Respire fundo e relaxe. Conte lentamente de dez até um. Imagine que está num local tranquilo, na praia ou no campo, a descansar, e ao seu lado está uma cesta cheia do seu fruto preferido.

Imagine que pega numa fatia de uma suculenta melancia e que está a dar-lhe uma dentada e a sentir o seu paladar. Sinta o cheiro, a sensação na boca e constate a vontade de comer melancia. Incrível, não é? Reprogramando a mente, consegue alterar os seus desejos.

O TREINO DA MENTE QUE EMAGRECE.jpg

 

O que deve pensar para reprogramar a mente?

A leitura repetida destes pensamentos ajudará a mudar o chip e assimilar uma nova forma de pensar que a vai ajudar no processo de emagrecimento, defende Iara Rodrigues, autora do livro Emagreça sem Fome, publicado pela editora Clube do Autor:

- Para emagrecer, tenho de comer. Opto por comer em menor quantidade e mais vezes, para acelerar o meu metabolismo.

- Não estou refém de uma dieta. Escolho simplesmente os alimentos de forma inteligente.

- Não estou a fazer dieta, estou a cuidar de mim e orgulho-me disso. Domino a vontade de comer.

- Estou tranquila porque sei que tenho em casa tudo aquilo de que necessito para confecionar refeições saudáveis e deliciosas.

- Se faço uma asneira, não é por isso que desisto. O facto de ter comido uma mousse, à sobremesa, não anula as conquistas que tenho feito.

- Sei que o melhor horário para fazer exercício é aquele que tiver disponível. Se não consegui fazer a caminhada de manhã, vou fazê-la ao fim do dia.

- Sei comer uma bolacha sem devorar o pacote inteiro. Parto-a aos pedacinhos e saboreio-a sem pressas.

- Tenho a tática vencedora. Dar um passo de cada vez. Sinto-me vitoriosa cada vez que alcanço um objetivo, nem que seja perder mais 500 g.

- O futuro está nas minhas mãos. Posso ter sido gordinho no passado ou ter uns quilos a mais no presente, mas o futuro ainda não aconteceu e, por isso, posso alterá-lo.

- Não me engano a mim próprio. Sei exatamente aquilo que como a mais e não perco o norte do meu plano alimentar.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.